Pelos caminhos do vernáculo


111ª.  AULA  DE  PORTUGUÊS – PARTE  A

ASSUNTO:   QUESTÕES  SOBRE  CONCORDÂNCIA  VERBAL

QUESTÃO    1(UFC)

Assinale a opção correta:

a)  Mais de um retirante se afastou do serviço.

b)  Qual de vós sabeis o destino do  retirante ?

c)   Podem haver,  no campo,  dias horríveis.

d)  Espera-se  dias  mais propícios. 

 

 

QUESTÃO    2(FUVEST): 

 

Num dos provérbios abaixo,  não se observa a concordância prescrita pela gramática.  Indique-o.

a)  Não se apanham  moscas com  vinagre.

b)  Casamento e mortalha no céu  se  talha.

c)  Quem  ama o feio,  bonito lhe parece.

d)  De boas ceias,  as sepulturas estão  cheias.

e)  Quem cabras  não  tem  e  cabritos vende,  de algum  lugar lhe vêm.

 

 

QUESTÃO    3(FMPA/MG):   

 

A  concordância  verbal não  está  correta  em:

a)  Isso  são  verdadeiros  absurdos.

b)  Os  Andes  ficam  na  América.

c)  Entre  nós  não  haviam  segredos.

d)  Isso  não  passa de  absurdos  comentários.

e)  Menos de  dois  alunos  disputam  a  vaga. 

 

QUESTÃO    4(UNICAMP/SP)

 

Do  Delegado  Regional do Ministério   da  Educação no  Rio  Antonio  Carlos Reboredo,  ao ler ontem um discurso de  agradecimento ao seu chefe,  o  Ministro   Eraldo  Tinoco:

Os convênios  assinados traduz os  esforços...(Painel  do  leitor,  Folha de  São  Paulo).

 

O  título  da  nota,  “Sem  Comentários”,  é,  na  verdade,  um  comentário, que  expressa o ponto de vista do jornal, motivado por um problema  gramatical  no discurso lido por A.C. Reboredo.

 

a) Que problema  gramatical provocou o comentário do jornal ?

b) Explique o comentário  que  está sugerido,  nesse  caso  específico,  pela  expressão “Sem comentários”.

 

Na  próxima aula  de    111-PARTE  B,   apresentaremos   as  respostas  a  essas  quatro  questões,  com  comentários. 

Fortaleza/CE,  23  de  julho  de  2014

 

José  Estêvão  Marinho  da  Rocha

 

 



Escrito por Estêvão às 13h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




110ª.  AULA  DE  PORTUGUÊS – PARTE  B

ASSUNTO:   Respostas  das  questões  apresentadas  na  PARTE  A.

RESPOSTA  DA  QUESTÃO  1:  opção  e

O núcleo  do  sujeito  da  primeira  oração é   “verdade”.   O  núcleo do  sujeito  da  segunda oração é  “revelações”.  Desta  forma,  os  respectivos  verbos  devem  concordar  em  número e pessoa  com  os  citados  núcleos.  Assim  sendo,  o   verbo  ser  deve  ficar  no  singular  e  o seu predicativo  deve  ser  “apurada”,  concordando  em  número  e pessoa  com o núcleo do sujeito(verdade).  E o  verbo  doer  deve  ir  para  a  terceira pessoa do plural(doam),  concordando em  número e pessoa  com  o  sujeito da  oração  que é  “revelações”.

RESPOSTA  DA  QUESTÃO  2:  opção  e

 

Nas  opções  a,  b,  c,  d,  os  núcleos dos  respectivos  sujeitos(passos,  criações, desilusões,  pessoas)  estão  concordando, em  número e pessoa,  com  os  respectivos  verbos(faltam,  existem,  passaram ,  estão).  Estão, portanto,  todas  corretas.  Na opção  e,  o  núcleo  do  sujeito  é  “palavras”.  Assim sendo,  o  verbo deve ir para  a  terceira pessoa do plural,  ou  seja,  contêm.   Observem  que  o  acento  agudo em  “contém” indica  que o  verbo  está  na  terceira pessoa  do  singular.

 

RESPOSTA  DA  QUESTÃO  3:  opção  a

 

O  verbo haver,  no sentido  de  existir,  é  impessoal  e, como  tal,  deve ser  usado apenas na  terceira pessoa  do singular.   Atente-se para o fato de que,  em  caso  de  locução  verbal,  essa impessoalidade  se  transfere  para  o  verbo auxiliar(deve).  O  verbo  fazer,  com  indicação de tempo,  é também  impessoal,  devendo ser  usado apenas na terceira pessoa do singular.   Assim sendo,  a forma  correta  do verbo  fazer  é  “faz”.

 

RESPOSTA  DA  QUESTÃO  4:  d

 

O  verbo  haver,  no  sentido  de  existir,  é  impessoal  e,  como  tal,  deve  ser usado  apenas  na  terceira pessoa do  singular().   Neste  caso,  por  se  tratar  de uma  locução  verbal,   o  verbo  haver,  no  modo  infinitivo,  deve  ser usado  na   forma  não-flexionada,  ou  seja,  haver. O  pronome  “se”  não  é  particular  apassivadora,  mas  sim  índice  de  indeterminação  do sujeito  e,  como  tal,  o  verbo  deve  ser  usado  na  terceira  pessoa  do  singular(deve). Temos  aí uma  locução  verbal,  em  que  o  verbo  principal(dar)  permanece  imutável.

 

RESPOSTA   DA  QUESTÃO  5:  opção  b

 

O  pronome  “se”,  na  opções  a  e  b,   funciona  como  índice  de  indeterminação  do  sujeito  e,  como  tal,  o   verbo  deve  permanecer  sempre na  terceira  pessoa  do  singular.  Ressalte-se  que  as  palavras   “rio”  e  “bom”  funcionam  como adjunto  adverbial  e  adjunto  adnominal,  respectivamente.   Como  tais  palavras  não  funcionam  como sujeito,   mesmo que  elas  sejam  colocadas  no plural,  os  verbos  das  respectivas  orações   permanecerão  inalterados. O  pronome  “se”,  nas  outras três  opções,  funciona  como  partícula  apassivadora.  Neste  caso,  o  núcleo  dos  sujeito é  representado  pelas  palavras  gasto,  resultado decisão.  Se  tais  palavras  forem  colocadas  no plural(gastos, resultados,  decisões), devemos colocar os respectivos verbos também no plural( calculam-se, elogiem-se,   ratificaram-se),  observada  a concordância  em  número  e  pessoa  entre o  sujeito e o respectivo  verbo.

 

Na  próxima aula  de  nº  111-PARTE  A,   apresentaremos  uma  nova lista  com  cinco  questões  sobre  concordância  verbal.

 Fortaleza/CE,  18  de  julho  de  2014

 José  Estêvão  Marinho  da  Rocha

 

 



Escrito por Estêvão às 16h36
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




110ª.  AULA  DE  PORTUGUÊS – PARTE  A

ASSUNTO:  QUESTÕES  SOBRE  CONCORDANCIA  VERBAL

QUESTÃO  1(UEFS/BA)

Toda a verdade dos fatos ...,  ainda que ....  revelações.

a) Será apurado-doa

b) Será apurados-doa

c) Serão apurados-doa

d) Serão apurada-doam

e) Será apurada-doam

QUESTÃO  2(UPM/SP)

Assinale a oração em que o verbo não concorda em  número e pessoa com o sujeito, ferindo os princípios da concordância:

a)   Faltam ainda alguns passos seguros para a aquisição de uma vida pacifica

b) Existem criações  sensatas capazes de superar até as mais espantosas maldades.

c) As desilusões que a perturbam hoje já passaram alguns dias comigo.

d) De sinceras intenções, as pessoas  estão saturadas.

e) Exatamente irreais,  suas palavras só  contém  valores  supérfluos.

 

QUESTÃO 3(FCC)

 

A essa altura,  não.... mais ingressos,  pois já... dias que a casa tem  estado com a lotação esgotada.


a)  Deve  haver-faz

b) Deve haver-fazem

c) Deve haverem-faz

d) Devem haver-fazem

e) Devem haver-faz

QUESTÃO  4((FCC)

Sempre ... pessoas revoltadas  com pequenas coisas a que não se ... dar maior importância.

a)  Há de haver-devem

b) Há de haverem-deve

c) Hão de haver-devem

d) Há de haver-deve

e) Hão de haver-deve

QUESTÃO  5(FGV/SP)

Observe as seguintes  frases:

1)  Por que rio se vai a Canudos ?

2) Precisa-se de bom profissional.

3) Calcula-se o  gasto de viagem.

4) Elogie-se o resultado de seu esforço.

5) Ratificou-se a decisão dos associados.

Passando para o plural os elementos destacados,  o  verbo irá para o plural nos itens:

a)   1,2 e 4

b) 3,4 e 5

c) 1,4 e 5

d) 2, 3 e 4

e) 2, 4 e 5

 Na  próxima aulas,  serão  respondidas,  com   comentários,  essas  cinco  questões.

 Fortaleza,  11  de  julho  de  2014

José  Estêvão  Marinho  da  Rocha

 

 



Escrito por Estêvão às 13h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




108ª  AULA  DE  PORTUGUÊS - PARTE  B

 Nesta  aula, vamos  responder  às  cinco  questões,  apresentadas  na  Parte  A.  Pedimos  mil desculpas aos nossos diletos leitores, pelo  fato de  termos  quebrado  a  sequência  da  numeração das  Aulas,  apresentando  a  109/A  antes da  108/B.

RESPOSTA  DA   1a.  QUESTÃO:

Resposta  correta:  a, c, e.

Na   1a.  questão,  não  estão  corretas  as  opções  “b”  e  “d”.   Em  relação à  opção “b”,  o  núcleo do sujeito  da  primeira  oração está  no singular(resultado),  ao  passo  que o verbo  está  no plural(apontam).  Em  relação  à  opção “d”,   o  verbo  auxiliar  “ficam”  está  na  3a.  pessoa  do plural,  ao passo  que o  núcleo  do   sujeito da  oração  está  no  singular(magia).

Em  relação á  opção  “a”,  o  sujeito  da  oração  é  a  expressão “quem  de vocês”, a  qual  leva  o  verbo  para  a   terceira  pessoa  do singular,  ou  seja,  discordaria.

 Em relação à  opção  “c’,  a  concordância  verbal  está  correta,  pois o  núcleo do sujeito(poder)  leva  o  verbo para  a  terceira pessoa do  singular(intriga).

Em  relação à  opção “e”, a  concordância  verbal  está  correta,  pois  o  sujeito  da   oração,  representado  pela   expressão “ a maior parte de”  leva  o  verbo para  a   terceira pessoa do singular(deixa-se).

RESPOSTA  DA  2ª  QUESTÃO:

a)      A  polícia  desses  países  não pôde  prendê-los porque o governo  brasileiro não fez o pedido formal de captura.

b)      A  causa  provável  da infração  é  que  o núcleo do  sujeito(polícia)  está  acompanhado  de um adjunto  no  plural(desses países),  induzindo o redator  a  fazer  a  concordância  com  o  adjunto.  

RESPOSTA  DA  3a.  QUESTÃO:

Opção correta: b. 

O  sujeito posposto(problemas)  leva o verbo para  a  terceira pessoa do plural(surjam).  O pronome  relativo  “que”,  sujeito da  oração,  tem  como  antecedente  “problemas”.  Assim sendo,  o  verbo  auxiliar  deve  ir para  a  terceira pessoa  do plural(sejam).  O predicativo do sujeito  deve  concordar  com  o   sujeito em  gênero  e  número.   Logo,  a  forma  correta  é  “incontornáveis”.

RESPOSTA  DA  4ª  QUESTÃO:

 a)      Havia jardins  e  manhãs naquele  tempo:  existia paz em toda parte.

b)      Se  houvesse mais homens  honestos, não existiriam  tantas  brigas por justiça.

Observa-se que o  verbo  haver,  no  sentido  de  existir  é  impessoal,  permanecendo sempre  na  terceira pessoa  do  singular.  Já  o  verbo  existir é  flexionado  normalmente,  concordando com  o sujeito,  em  número  e  pessoa.

RESPOSTA  DA  5a.  QUESTÃO:

Opção correta:   c.

Quando o verbo  haver  no  sentido de  existir,  é  usado  com um  auxiliar,  este se torna impessoal,  ou  seja,  não  pode  ser  flexionado.  O  correto  seria:  poderia.

Na opção  “a”,  a concordância  verbal  está   correta  com  o  verbo   no  plural,  considerando  que o  sujeito  é  composto,  com  o uso  da  expressão  “não só....mas  também”.

Na opção “b”,  a  concordância  verbal  está  correta   com  o  verbo  no plural,  concordando  com  a  expressão  “um dos  eventos  que”.

Na  opção  “d”,  o  sujeito  é  composto,  em  que  os dois  núcleos  são  excludentes.  Desta forma,  a   concordância  verbal  está  correta,  pois  o  verbo  está  na  terceira  pessoa  do singular,  ou  seja,   restará.

Na  próxima  aula,   apresentaremos  uma  nova  lista  com  cinco questões  sobre  concordância verbal.

Fortaleza,  25  de fevereiro  de   2014

 José  Estêvão  Marinho  da  Rocha



Escrito por Estêvão às 16h41
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




109ª  AULA  DE  PORTUGUÊS – PARTE  B

ASSUNTO:  QUESTÕES  SOBRE  CONCORDÂNCIA  VERBAL

Nesta  aula,  vamos  corrigir  as  cinco  questões,  apresentadas na  Parte  A.

RESPOSTA  DA  1a. QUESTÃO:

Resposta  correta:  opção  b.

O  verbo  fazer,  com a ideia de tempo,  é impessoal,  devendo  permanecer sempre  na  3a.  pessoa do singular.  Se  o  verbo  fazer  vier  antecedido por um  auxiliar,  este se  torna  impessoal.  Devemos  ter,  no  presente  caso,  a  forma  vai.

Um  verbo  auxiliar,  colocado  antes  do  verbo  existir,  é  regular,  ou  seja,  deve  ser  flexionado normalmente.  No  presente  caso,   como  o   núcleo do sujeito,  colocado depois do verbo,  é  motivos,  o  auxiliar do  verbo  existir  deve  ir  para o  plural,  ou seja,  devem.

O  verbo  haver,  no  sentido  de  existir,  é  sempre  impessoal,  devendo  permanecer  na  3a.  pessoa  do  singular.  No  presente  caso,  temos  a forma  houvesse.

RESPOSTA  DA  2a.  QUESTÃO:

Resposta  correta;  opção  c.

As  expressões  quantitativas  um  grande  número de,  um  bando  de,  pequena parte  de podem  levar  o  verbo  tanto  para  o singular   quanto  para  o  plural.

A  expressão  mais  de  um  sempre  leva  o  verbo  para  o  plural.

RESPOSTA  DA   3a.  QUESTÃO:

Resposta  correta:  opção  e.

No  texto  apresentado,  temos  a   oração:  minhas  mãos  examinam  a  forma.  Nota-se  que o  núcleo  do  sujeito(mãos)   concorda  em  número e  pessoa  com  o  verbo(examinam).

RESPOSTA  DA  4a.  QUESTÃO:

Resposta  correta: opção  a

As  expressões  quantitativas  um bando  de,  pequena parte  e  um   grande  número  de podem  levar  o  verbo  tanto  para  o singular   quanto  para  o  plural.

A  expressão  mais  de  um  sempre  leva  o  verbo  para  o  plural.

RESPOSTA  DA  5a.  QUESTÃO

Resposta  correta;  opção  a.

No  texto apresentado,  o  verbo  permitiram  tem  como  sujeito o pronome  relativo  que, o  qual  se  refere  ao  antecedente  frentes.

Na opção a, o  verbo  concentra  tem  como sujeito o pronome relativo que, o qual se refere ao antecedente área.

As outras  três opções se  referem  a outros tipos de situações.

Na opção  b,  a  partícula que  é  uma  conjunção integrante,  a  qual  introduz  uma  oração,  chamada de  subordinada substantiva  objetiva-direta  e  que  desempenha a função de  objeto direto da oração principal  Espero.

Na opção c, temos um  exemplo  da  voz  passiva  pronominal, construída  com  o uso da  partícula  apassivadora  se.  Neste caso,  o  verbo(discutem-se)  concorda  normalmente  com  o  núcleo  do  sujeito posposto(questões).

Na  opção d,  a  partícula  se  desempenha  a  função  sintática  de  índice de indeterminação do sujeito  e,  neste  caso,  o  verbo  deve  ficar  sempre  na  terceira  pessoa  do singular.

Na opção  e,  temos  a  regra  geral  da   concordância  verbal,  pela qual  o  núcleo do sujeito(fazendeiros)  concorda  em  número  e  pessoa  com  o  verbo(chegaram).

Lembrete  importante:

Na  próxima  aula,  de  número  110, apresentaremos  nova  lista,  com  cinco  questões  sobre  concordância  verbal.

Fortaleza,  24  de  janeiro de  2014

Atenciosamente,

José  Estêvão  Marinho  da  Rocha



Escrito por Estêvão às 13h03
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

109ª  AULA  DE  PORTUGUÊS - PARTE  A

ASSUNTO:  QUESTÔES   SOBRE  CONCORDÂNCIA  VERBAL

QUESTÃO  1-FCC

... fazer  cinco meses que não  a  vemos; ...existir motivos imperiosos para a sua ausência, pois,  se não..., ela já nos teria procurado.

a)  Vai - deve - houvessem

b)  Vai - devem - houvesse

c)   Vão - deve - houvessem

d)   Vão - devem - houvesse

e)       Vão - devem – houvessem

 

QUESTÃO  2 – UnB/DF

Em  todas as opções, o verbo pode ir para o plural ou para o singular, exceto em:

a)  Um grande número de fugitivos(sair) pelas montanhas.

b)  Um bando de papagaios(pousar)  no  laranjal.

c)   Mais de um ciclista(cair) da bicicleta.

d)   Pequena parte dos visitantes(estar)  em  silêncio.

QUESTÃO  3 – UFJG/MG

Minhas mãos,  escolhendo um livro que quero levar para a cama ou para a mesa de leitura,  para o trem ou para dar de presente, examinam a forma.

A forma  verbal  examinam  está subordinada a  “minhas mãos”  por um princípio  de:

a)   Regência  verbal

b)  Concordância   verbal

c)   Concordância  em  número e  gênero

d)   Colocação  pronominal

e)    Concordância  em  número  e pessoa

 

QUESTÃO  4 – Unibero/SP

Em  todas  as alternativas,  exceto  em uma, o  verbo pode  ir para o plural ou  ficar no  singular:

a)  Mais de uma pessoa(atingir) a meta.

b)  Um  bando de andorinhas(pousar) no  varal.

c)   Pequena  parte dos cantores(dar) um  agudo.

d)   Um  grande  número de maritacas(grasnar).

QUESTÃO  5 – PUCCamp/SP

O  trabalho da FUNAI desenvolve-se  em nove  frentes, que permitiram, até agora, a aproximação com cinco novos grupos  indígenas.

A  concordância  do verbo com o sujeito na frase acima justifica-se pela mesma  razão  que  determina  a  concordância   verbal  em:

a)  A área  que  concentra  o maior número  de  tribos isoladas é o  Vale do Javari,  na  fronteira  entre  o  Amazonas e o Peru.

b)  Espero que considerem o problema da demarcação das terras indígenas com a devida severidade.

c)   Discutem-se diariamente  questões acerca da posse da terra.

d)   Fala-se muito sobre os conflitos entre fazendeiros e índios.

e)   Alguns  fazendeiros chegaram ao local com um  grupo de  índios cintas- largas.

 

Na próxima aula, serão respondidas, com comentários, essas  cinco  questões.

Fortaleza/CE,  21 de janeiro de 2014

José Estêvão  Marinho da Rocha



Escrito por Estêvão às 13h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




108ª  AULA  DE  PORTUGUÊS – PARTE  A

 ASSUNTOQUESTÕES  SOBRE  CONCORDÂNCIA  VERBAL

 

QUESTÃO  1(UFPE)

 Quanto à concordância verbal, podemos afirmar que estão corretos os seguintes enunciados:

 a) Quem de vocês discordaria de que a palavra é um elemento reacionário ?

b) O resultado das últimas pesquisas de opinião apontam para a vitória do candidato que melhor manejar a palavra.

c) O poder das palavras, já comprovado desde os tempos remotos das antigas civilizações, ainda intriga os estudiosos modernos.

d)  Ficam evidenciadas , a partir de inúmeras provas incontestáveis, a magia que reveste as palavras.

e)  A maior  parte das pessoas, ainda que não tenha consciência disso, deixa-se seduzir pela palavra.

 QUESTÃO  2(FUVEST/SP)

 “A  Polícia Federal investiga os  suspeitos de terem  ajudado na fuga para o Paraguai e  a  Argentina.  A  polícia  desses países não puderam  prendê-los  porque o  governo brasileiro não  fez  o pedido formal de captura.”

a) No    período  há uma infração às  normas de concordância. Reescreva-o de maneira correta.

b) Indique a causa provável dessa infração.

 QUESTÃO  3(UFS)

 Indique a alternativa que completa corretamente a frase:

 Ele  confirmou que nos ouvirá com prazer,  mesmo que..... problemas que....considerados....

 a) surja – sejam – incontornáveis

b)  surjam – sejam – incontornáveis

c) surja – seja – incontornável

d) surja – sejam – incontornável

e) surjam – sejam – incontornável

QUESTÃO  4(FUVEST/SP)

 Reescreva as frases abaixo,  substituindo existir por haver e vice-versa.

 a) Existiam jardins e manhãs naquele tempo: havia paz em toda a  parte.

b)  Se existissem mais homens honestos, não haveria tantas brigas por justiça.

QUESTÃO 5(UFF/RJ)

Quanto à  concordância  verbal,  é inaceitável,  segundo a norma culta  contemporânea,  a seguinte  frase:

a) Não só o encontro de duas expressões,  mas também a expansão de duas formas podem resultar na supressão  de uma  delas.

b) A guerra é um dos eventos que mais  caracterizam a história das civilizações.

c) Havia apenas um campo de batatas para as duas tribos, mas outros poderiam haver na vertente posterior da montanha.

d) A vida ou a morte restará depois da batalha.

e) Cabe às tribos, pela  força,  definir quem  tem  direito às batatas.

 Nota  importante:

Na  parte  B  desta  Aula,  serão  apresentadas oportunamente as  respostas  a  essas  cinco questões, com  todos  os  esclarecimentos necessários.

 Fortaleza/CE,  21 de outubro de  2013

 José  Estêvão Marinho  da  Rocha



Escrito por Estêvão às 13h19
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




107a.  AULA  DE  PORTUGUÊS - 2a.  Parte

 

ASSUNTO:   ANÁLISE  DE  UMA  NOTÍCIA  DE  JORNAL – CONTINUAÇÃO

 

Quanto ao  uso dos sinais  de pontuação,  no  texto,  tenho   duas   ressalvas  a  fazer: 

 

a)     as  expressões  em quase dois anos  e  desde  setembro  de  2011  deveriam  ter  sido  antecedidas  por  vírgula, por serem  locuções  adverbiais. 

b)    na  manchete  da  notícia,  a  expressão  desde  2011”,  deveria  estar  antecedida  por  vírgula,  por  ser uma  locução  adverbial.

 

  um  erro  de  regência  nominal  na  expressão  “ utilizado para o  comércio  exterior”.  A  expressão  correta é:  utilizado  no/pelo  comércio  exterior.

 

Para evitar o uso da palavra dólar, pela quarta vez, foi utilizada corretamente a  expressão  moeda americana”,  que  é  um  substituto  à  altura. Esse  mesmo  recurso  da substituição foi  utilizado  com  a  palavra  instituição  no  lugar  de  Banco  Central,  contribuindo  para  embelezar  o  estilo  da  redação.

 

Não  fica  claro, no  final  do  texto,  se  o  Brasil  integra  o  grupo dos  países  emergentes.  Isso  poderia  ter  sido  ressaltado,  embora  fique  subentendido pelo  conteúdo  da  matéria  jornalística.

 

A  colocação  da  conjunção  coordenativa  adversativa  porém”,  entre  virgulas,  depois   do  sujeito  da  oração(especialistas)    realce,  encanta  e  embeleza  a  frase.

 

Quando  o  real  sobe  frente ao dólar,  dizemos  que a nossa moeda está-se  desvalorizando. 

 

Quando o real  baixa  frente  ao  dólar,  dizemos  que  a nossa moeda  está-se  valorizando.

 

Estas  variações  de sentido  contrário não  aparecem,  de  modo  claro, na matéria  jornalística,  em  análise.

 

Convenhamos  que nem  todos os  leitores  do  jornal  são  economistas,  como eu,  para  ter  a    acuidade  de   perceber  esses  detalhes  que  não  estão  explicitas  na  notícia.

 

Fortaleza/CE,  28  de  agosto de  2013

 

José  Estêvão  Marinho  da  Rocha

Nas próximas  aulas,  apresentaremos  questões de concordância  verbal,  que  serão  explicadas na  parte  2  da  aula   de  mesmo  número.

 



Escrito por Estêvão às 14h58
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




107ª  AULA  DE   PORTUGUÊS - 1ª  PARTE 

ASSUNTO:  ANÁLISE  DE   UMA  NOTÍCIA  DE   JORNAL

Após plano  do  BC,  dólar  tem a maior  queda  desde   2011

Um   dia depois  de  o   Banco  Central  anunciar plano  para  frear  a  valorização  do  dólar,  a moeda  registrou a  maior queda de  cotação  no  país em  quase dois anos.

Até o  final do ano, a instituição   fará  leilões  diários pra injetar  U$ 54,5 bilhões no  mercado  de  câmgio.

O dólar  comercial, utilizado  para  o  comércio  exterior,  fechou  em  R$  2,353-baixa de 3,24%, a maior queda diária desde setembro de  2011.

O real  registrou a maior  valorização entre as  24 principais moedas emergentes.     três  delas perderam  valor  diante do  dólar  ontem.

Especialistas,   porém,  mantêm a previsão de  valorização da  moeda  americana.  A  recuperação econômica dos  EUA  deve atrair mais  investimentos ao país.  Com  isso,  investidores vão  tirar dinheiro de  países  considerados de  maior risco,  como  os  emergentes.

(Folha de  São  Paulo – 24/08/13 – 1ª.  Página)

Quanto  à  pontuação,  está  tudo  correto.   Foram  acentuadas  as  seguintes:  palavras  dólar,  país/países,  até,  fará,  diários/diária,  câmbio,  comércio, só,  três,  porém,  mantêm,  econômica.  Justificamos,  em  seguida,  as  regras  de acentuação  adotadas:

a)     Monossílabos  tônicos:  só,  três;

b)    Palavras  oxítonas  terminadas  em  a, o,  e,  em,  seguidas  ou  não de s:  até,  fará,  porém,  mantêm( com  acento circunflexo,  na  terceira  pessoa do plural,  para  diferenciar  de  mantém, na terceira  pessoa  do   singular);

c)     Palavras  paroxítonas  terminadas  em  ditongo,  seguidas  ou  não  de  s:  diários,  diária,  câmbio,  comércio;

d)    Palavras  paroxítonas  terminadas  em  r:  dólar;

e)     Palavras  que possuam  hiatos,  seguidas  ou não de s,  na  mesma  sílaba:  país,  países;

f)      Palavras  proparoxítonas:  econômica.

 

Chama  a  minha  atenção  o  início da primeira  frase,  quando  acertadamente  não  foi  feita  a  combinação  da  preposição  de  com  o  artigo  definido  o(de + o = do),  pelo fato de o  sujeito  da  oração,  no  caso,  Banco  Central,   não  poder  ser  antecedido  da   combinação do.

 

Por  falta  de  espaço,  continuaremos  a  análise da notícia,  na  parte  2  desta  aula.

 

Fortaleza,  25/08/13

José  Estêvão  Marinho  da  Rocha

 



Escrito por Estêvão às 14h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




106ª  AULA  DE   PORTUGUÊS

ASSUNTO:  CONCORDÂNCIA   IDEOLÓGICA  OU  SILEPSE

Atentem  para  as  frases  abaixo:

Vossa   Senhoria é generoso.

Os  brasileiros  somos  solidários.

A  maioria  dos  alunos    foram  aprovados.

 

São  exemplos  de  concordância  ideológica  ou  silepse  de  gênero,   de pessoa  e  de  número,   respectivamente.

Na  primeira frase,  pela   norma  culta,  observada  a  regra  de  concordância  verbal,  o  adjetivo  generoso  é  usado  no  feminino para  concordar  com  o  sujeito  da  oração(Vossa   Senhoria).

Na  segunda  frase,  pela  norma  culta,  adotada  na  concordância  verbal,  o  verbo  deve  ser  usado  na   terceira  pessoa  do  plural(são),  em  virtude  do  sujeito  da   oração(os  brasileiros).

E na terceira  frase,  é sabido  que,  pela  norma  culta,  os  coletivos  levam  o  verbo  para  o singular( foi).

Nas  três  frases,  como se nota,  a  concordância  verbal  não é  feita  com o que  está  escrito  na  oração,   mas  sim  com  o que  temos  em  mente.

No primeiro  exemplo,  temos  em mente que  a  pessoa  referida é  um  homem.   No  segundo  exemplo,  o  falante  usa o  verbo  na  primeira pessoa  do plural,  por  se  julgar  incluído  no  enunciado  da  frase.   E no  terceiro  exemplo,   o  que  se  tem  em  mente  é que  os  coletivos  são formados  por  diversos  seres, objetos  ou  elementos. 

Respostas  das  questões  da  Aula   de  Português    105:   1-d, 2-c, 3-d, 4-b, 5-a.

Até  a  próxima  aula.

Fortaleza/CE,   24  de  agosto  de  2013

José  Estêvão  Marinho  da  Rocha



Escrito por Estêvão às 15h22
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




105ª  AULA  DE  PORTUGUÊS

QUESTÃO 1(FUVEST/SP)

Indique  a  alternativa correta:

a)     Tratavam-se de questões  fundamentais.

b)    Comprou-se  terrenos  no  subúrbio.

c)     Precisam-se  de  publicitários.

d)    Reformam-se  ternos.

e)     Obedeceram-se aos  severos  regulamentos.

 

QUESTÃO 2(UNIP/SP)

 

Assinale  a  alternativa  gramaticalmente  correta:

 

a)     Não mais se vê,  naquela  casa,  sinais de  destruição.

b)    Devem  haver algumas modificações na política   econômica.

c)       que  não se  assistem a bons espetáculos, os torcedores não comparecem aos  estádios.

d)    Estava  faltando  quinze minutos para o início do baile, quando ela chegou.

e)     O mau  resultado conseguido pelo  banco fez com que se mudasse as regras do jogo.

 

QUESTÃO  3(MACK/SP)

 

Assinale  a  alternativa  incorreta  quanto  à  concordância  verbal:

 a)     A causa  da  tristeza  de  Maria  eram  as ausências  dele.  b)    Se não  houvessem  cometido muitos  erros no passado, hoje não haveria tantos problemas.

c)     Nossos  costumes provêm,  em  parte,  da  África.  d)    Se não existissem motoristas irresponsáveis,  deveriam  haver menos  acidentes fatais.

 

QUESTÃO  4(FCCA-UFES)

 

Aponte a  oração correta:

 a)     Aluga-se  casas.  b)    Vendem-se  apartamentos.  c)     Precisa-se  pedreiros.  d)    Precisam-se  de  pedreiros.  e)     Fez-se  reformas  na  escola.

QUESTÃO  5(FCC/SP)

 

Em  muito pouco tempo,  ...erros  e... horas  para  corrigi-los.

 

a)     Foram  cometidos – serão  necessárias  b)    Foi  cometido – será  necessári  c)     Foram  cometidos – será  necessárias  d)    Foi  cometido – serão  necessárias  e)  Foram  cometidos - Será  necessária

 

Fortaleza/CE, 29/04/13

José  Estêvão  Marinho  da  Rocha

Até  a  próxima  aula. 

 

 



Escrito por Estêvão às 16h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




104ª  AULA  DE PORTUGUÊS

Vamos  hoje  responder  as cinco  questões, propostas na aula  anterior, dando  as  devidas explicações.

  questão: letra b

 O  verbo   fazer, com a idéia  de  tempo,  é  impessoal,  ou  seja,  fica  na    pessoa  do singular,  transmitindo  essa impessoalidade  ao  verbo auxiliar  devia.  O  verbo haver,  utilizado  na  frase,  não  é  impessoal,  pois  ele   juntamente  com  o  particípio   corrido,  está  formando um  tempo  composto.  Neste  caso,  o verbo  auxiliar, ou seja,  haviam,  varia  normalmente.

 

  questão:  letra  a

 

O  verbo fazer,  com  idéia de  tempo,  é  impessoal,  sendo  usado  sempre  na    pessoa  do singular. O  verbo  haver,  usado  para  a formação dos temos  compostos,  varia  normalmente,  de  acordo  com  o  sujeito  da  oração.  A partícula  se,  utilizada  na frase,  é  índice  de indeterminação do sujeito,  ficando o  verbo   na    pessoa  do singular.

 

  questão: letra  c

 

O  verbo   haver,  no sentido  de  existir,  é  impessoal,  sendo usado sempre  na  3ª pessoa do  singular.  O  sujeito  do  verbo, na segunda  oração, é  a  palavra  fatos,  colocado  depois  do  verbo  ocorrem,  com o qual  concorda  em  número e pessoa.  O  sujeito  do  verbo,  na  terceira  oração, é representado pelo  pronome  relativo  que, cujo  antecedente é  a  palavra  fatos,  fazendo com que  o  verbo permitem  fique  na    pessoa  do plural, concordando  em  número  e  pessoa.

 

  questão: letra  b

 

O  verbo  fazer,  com   a  idéia de  tempo,  é  impessoal,  sendo  usado  sempre  na    pessoa  do singular.  O  verbo existiram  é  usado  no plural,   pelo  fato  de  o  sujeito ser o pronome  relativo  que,  cujo   antecedente  são as  palavras  esperança  e  vigor.  Tais  palavras  atuam  como  sujeito da última oração  e, sendo composto,  o verbo  vai  para o plural(abandonaram).

 

  questão: letra  d.

 

A  primeira pessoa do discurso(eu)  predomina  sobre as outras duas.  Neste caso,  o verbo  vai  para  o  plural(cantamos). Temos   um sujeito  composto,  representado pelas  três  pessoas  do  discurso.  Quando o sujeito composto é formado  pela segunda  pessoa  do discurso(tu)  juntamente  com a  terceira(ele ou ela), o verbo  vai para  o  plural, sendo aceitas como  corretas as duas formas( cantais ou cantam).  Antes de preposições,  usamos  as  formas oblíquas dos pronomes  pessoais, desde  que  esses  não  sejam  seguidos por  um verbo no modo infinitivo(para  eu  fazer, para  eu  estudar,   para  eu  cantar)..  Assim sendo,  o  correto é dizer-se  “ entre  mim  e  ti”

 

Lembrete  amigo:

Na  próxima aula,  apresentaremos  mais cinco questões  sobre  concordância  verbal.

Fortaleza/CE,  15/02/13,   José  Estêvão  Marinho  da   Rocha

 



Escrito por Estêvão às 18h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




103ª AULA  DE  PORTUGUÊS

Vamos  recordar,  um  pouco,  a  concordância  verbal,  propondo   cinco  questões  aos  meus  distintos  leitores,  as quais  serão  respondidas,  na  próxima  aula.

  QUESTÃO(TJ-BA)

Já......uns  doze  anos  que  ele  saíra  da  terá  natal,  e  não sabia  que lá......ocorrido  mudanças.

a)      deviam  fazerem-havia

b)      devia  fazer-haviam

c)       devia  fazer-havia

d)      deviam  fazer-haviam

e)      deviam  fazer-havia

  QUESTÃO(FUVEST-SP)

.....dez  horas que se.....iniciado  os  trabalhos de apuração dos votos sem que  se.....quais seriam os candidatos  vitoriosos.

a)      fazia-haviam-previsse

b)      faziam-haviam-prevesse

c)       fazia-havia-previsse

d)      faziam-havia-previssem

e)      fazia-haviam-prevessem

  QUESTÃO(PRF)

Acredito que.....muitas  enchentes,  pois.....fatos  que.....afirmá-lo.

a)      haverão-ocorre-permitem

b)      haverá-ocorre-permitem

c)       haverá-ocorrem-permitem

d)      haverão-ocorre-permite

e)      haverão-ocorrem-permite

  QUESTÃO(ESAer)

Não  chove.....meses, mas  a  esperança e o vigor que  sempre.....no sertanejo  não o.....

a)      Faz – existiu – abandonou

b)      Faz – existiram – abandonaram

c)       Fazem – existiu – abandonou

d)      Fazem – existiram – abandonaram

e)      Fazem – existiu - abandonaram

  QUESTÃO (ITA-SP)

Disse  o  sabiá à  flauta:  Eu,  tu  e  o  artista.....de modo  diferente;  mas  o artista  e  tu.....de modo igual.   Portanto,  entre..... e .....há  uma  grande  diferença.  Complete  as  lacunas.

a)      Cantam – cantais – mim – tu

b)      Cantemos – cantam – eu - ti

c)       Cantamos – cantas – eu – ti

d)      Cantamos – cantais – mim – ti

e)      Cantais – cantam – eu - você

AVISO  IMPORTANTE:

Você  pode  enviar  sua dúvida, acerca  de  qualquer  assunto  da  Língua  Portuguesa,   através  do  e-mail  jestevao@uol.com.br   Terei prazer em atendê-lo.

Fortaleza/CE, 11 de fevereiro  de  2013

José  Estêvão  Marinho  da  Rocha



Escrito por Estêvão às 15h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




102ª - AULA   DE  PORTUGUÊS

É  muito lamentável  e desalentador  para quem,  como eu,  cultiva e estuda o idioma pátrio, há tantos anos,  deparar-se,  no dia-a-dia,  com a forma como as pessoas estão  falando,  ou com os diálogos que ouço,  em  telenovelas, atingindo milhões  de  pessoas,  por  este  Brasil afora. 

Destacaria  algumas  dessas  preciosidades.   Para não  me alongar muito,  citarei  esses três  vícios  de  linguagem,  mais  frequentes, que os  gramáticos  chamam de solecismo,  de uso  freqüente,  por  todas  as pessoas,  em  seus  diálogos:

1-Uso dos  pronomes  pessoaais  do caso  reto(ele, ela, eles, elas),  como  objeto direto,  no lugar  das formas corretas  lo, la,  los, las,  nas  construções  feitas  com os  verbos,  no infinitivo impessoal(locuções  verbais).  Você    comprou aquele  livro de sua  preferência ?  Vou comprar  ele,  ainda  hoje.

2-Uso  do pronome pessoal  “tu”,  que  é  da  segunda pessoa  do singular,  com  o  verbo na  terceira pessoa  do singular, como,  por exemplo,  tu foi,  tu  estudou,  tu  fez,  tu  comeu,  tu falou,  etc.

3-Uso  de  me”,  no lugar  de  eu”,  em  construções  do tipo  “para me fazer”,  “para me estudar”,  “para  me  ler”,  etc.

Isso  me desanima  e me deixa meio perplexo  e  estarrecido.  Sei  que a  língua é  viva,  é considerada  um  organismo  vivo,  e passa por mudanças  e  transformações,  ao longo  dos anos. Mas,  no caso  da  língua portuguesa,  o descaso dos seus   falantes  é  total,  independente  do grau de instrução e  da  condição sócio-econômica.  

No país de  tanta  gente  iletrada,  para não dizer analfabeta,  essas pessoas  tendem a imitar a fala  dos que  têm um melhor nível de instrução.  Só que  as pessoas que servem de  referencial  estão,  a  cada dia  que  passa,  afastando-se, de propósito e  intencionalmente,   da  norma culta.  E   o  resultado desse processo é  devastador, desalentador  e  irreversível.

Não vai demorar  muito, e chegaremos  ao dia  em  que as pessoas  que buscarem  evitar  tais  vícios de linguagem,  em seus  diálogos,  serão  certamente  tratadas  e  consideradas  como  pernósticas,  artificiais  e  rebuscadas.

Lembrete  aos  distintos  leitores:

Peço mil desculpas  aos  distintos  leitores  pela  longa  ausência de nossas  aulas.  Pretendo  retomá-las,  com  mais  afinco e dedicação,  tornando-as  mais  frequentes.

Estêvão  Marinho - Fortaleza/CE,  11  de  fevereiro  de  2013.



Escrito por Estêvão às 14h42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




101ª  AULA  DE  PORTUGUÊS

 

Vamos hoje retomar o estudo das figuras de construção. Há duas figuras de construção que são muito semelhantes.  Refiro-me à  elipse e  à  zeugma.  Na  primeira, ocorre a omissão intencional de um termo, facilmente identificável,  pelo  contexto.  Na segunda, ocorre a omissão de um termo  que já  fora usado anteriormente.

Exemplos: 

 

Na sala, apenas quatro ou cinco  convidados.( Machado de Assis)

Nem ele entende a nós, nem nós a ele.(Camões)

 

No primeiro exemplo,  ocorre a omissão de “havia”.  Trata-se de elipse.

No segundo exemplo, ocorre a omissão de  “entendemos”.  Trata-se  de zeugma.

 

Temos ainda, como figura de construção,  a anáfora,  que consiste na  repetição da mesma palavra no início  de  versos  ou frases.

 

Exemplo extraído da  canção  “Gota  d´água”, de Chico  Buarque de Holanda:

 

Olha a voz que me resta,

Olha a veia que salta

Olha a gota que falta.    

 

Examinemos agora  a  figura de construção, denominada  pleonasmo. Consiste numa redundância, com a finalidade de  reforçar a   mensagem.

 

Exemplo:

A mim me parece que o senhor me engana. (Miguel de  Cervantes)

E rir meu riso e derramar meu pranto

Ao seu  pesar ou seu  contentamento. (Vinícius de Moraes)

 

Grato pela atenção,

Estêvão  Marinho - Fortaleza/CE



Escrito por Estêvão às 12h17
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
Votação
  Dê uma nota para meu blog